Produção Micro Vegetais

Bem vindos ao mundo dos super-alimentos!

São já populares entre muitas famílias deste país, muito saudáveis e apresentam sabores intensos e cores vibrantes. Os micro vegetais podem ser produzidos dentro de casa, a partir de, virtualmente, qualquer semente de hortícola ou erva aromática e são colhidos no estado inicial do desenvolvimento das primeiras folhas.

Os micro-vegetais são ricos em vitaminas C, E, K, beta-caronenos e apresentam valores nutritivos mais elevados do que as folhas num estado mais avançado de maturação.

microvegetais
microvegetais

O que é que podemos cultivar?

Algus dos exemplo mais comuns como cultivo de micro-vegetais são rúcula, manjericão, bróculo, erva-de trigo, ervilha, beterraba, girassol, alface, chia, lentilhas, coentros, agrião, mostarda, endro, linho, couve-roxa, cebolinho, rabanete, feijão, ervilha e nabo.

Para percebermos melhor do que é que estamos a falar fomos ter com um verdadeiro especialista na matéria, o seu nome é João Henriques e atualmente é o mentor do projeto BIOVIVOS.


João Henriques - Foto:Lusa/Mário Cruz

Q: Em que é que se fundamenta/qual é o objetivo do projeto Biovivos?
R: O objectivo inicial do projecto é produzir fito-nutrientes com elevada qualidade e sustentabilidade.
O resultado são micro-estufas urbanas (mínima energia e água) a produzir "super-alimentos" , biológicos, locais e sustentáveis, entregues vivos para máxima qualidade. Para além de um impacto óbvio na saúde dos utilizadores, criámos 2 postos de trabalho ecológicos, locais e ajudamos a aumentar o interesse social sobre alimentação, vida saudável e sustentabilidade.
Em relação as variedades, após experimentarmos mais de 60 possibilidades, escolhemos 3 por serem a melhores produtoras de nutrientes, biomassa e densidade nutricional relevante para efeitos terapêuticos.

Q: Em que aspetos é que o seu consumo pode ser um benefício?
R: Todos nós devíamos beber ou comer 1 vaso de biovivos por dia.
São fontes incomparáveis de vitaminas , aminoácidos, antioxidantes, enzimas, clorofila, entre outros, na sua melhor forma - Vivos.
Em oposição, um vegetal cortado está morto! Em declínio desde o momento do corte, oxidado, transformado, embalado, transportado até á prateleira onde continua a perder qualidade.
O "Factor Vivo" é muito importante para consumir Biovivos. Um shot de Erva de Trigo não é igual 5m após ser feito. Tem de ser bebido logo para ingerirmos todo o potencial do espectro de fito-nutrientes e vitalidade.
É claro que existem outros super-alimentos! Mas quantos deles podem chegar vivos até nossa casa, à espera de serem consumidos? Os benefícios são diversos, temos casos de colesterol a baixar em 7 dias, emagrecimentos de 13kg em 6 semanas, recuperação de cabelos brancos, apoio a diversos doentes oncológicos e testemunhos de energia e vitalidade extra em todos eles.

Q: Existem várias maneiras de os consumir, podes-nos dar algumas dicas sobre isso?
R: Idealmente usados crus em sumos, saladas, sandes, picados, etc..
Costumo recomendar Sumo de Erva de Trigo, Salada Feliz com Biovivos de Girassol e Wrap de Biovivos de Ervilha.
Os sumos são a melhor forma de consumir, pois conseguimos ter uma grande densidade de nutrientes por "dose" e por ser mais facilmente digerido, do que uma sandes ou wrap.

Q: E de que forma podemos afirmar que é um cultivo sustentável?
R: Não usamos energia da rede na estufa, usamos muito menos água e produzimos muito mais nutrientes por m2 do que hortas convencionais. Entregamos localmente, inicialmente com testes com Bicicleta Eléctrica mas em Lisboa não é fácil.
Apesar de usar um vaso e saco plástico, é provavelmente o alimento mais sustentável que podemos comprar em Lisboa!
Por agora, 2 estufas em Carnaxide a servir Lisboa e até final de 2016,estufas no Porto e Algarve.
A pouco e pouco vamos semeando micro-estufas pelo país.

Obrigada pelas dicas João!