DWC - Leito Flutuante

De entre os sistemas activos, o sistema de leito flutuante (em inglês DWC - Deep Water Culture), é o mais simples. Nele, as plantas são ancoradas numa plataforma flutuante, colocada directamente na superfície da solução de nutrientes, contida num depósito, e as raízes ficam total ou parcialmente imersas nessa solução. 

É necessário promover-se a oxigenação da solução nutritiva, o que pode ser feito pelo borbulhamento de ar na mesma, através de uma bomba de ar, de um ventilador, ou mesmo por uma recirculação periódica da solução. 

Quando a oxigenação da solução é feita através de injecção de ar, este sistema também pode ser considerado um sistema passivo. 
Porém, como dissemos, a oxigenação pode ser promovida pela circulação da solução de nutrientes, usando-se ou não algum tipo de injector de ar. Neste caso, passa a considerar-se como um sistema activo.

Existe uma outra versão de um DWC ativo que não está muito explorada, também conhecida por DFT (Deep Flow Technique) em que em vez de uma superfície flutuante, usa-se uma que fique fixa directamente em cima da solução nutritiva. Neste caso, usamos 2 depósitos de água. No depósito onde vão estar as plantas montamos uma entrada de água e uma drenagem de nível de água para o outro depósito, essa drenagem de nível vai fazer com que a solução esteja sempre ao mesmo nível. No tanque de água, usamos uma bomba submersível, ligamos ao deposito das plantas, o sistema corre 24/24 e é muito parecido em design com um enche e vaza (ebb & flow) mas está sempre em circulação, deste modo a oxigenação é feita pelo movimento constante da água e não por borbulhamento.

Este sistema é geralmente utilizado para plantas de pequeno porte, ávidas de água, como a alface, a qual apresenta enormes índices de produtividade quando cultivadas através dele. É também um sistema ideal para demonstração em aulas nas escolas, pois pode ser montado até com um aquário de peixes em desuso.

Este sistema, não é muito adequado para plantas de médio e grande porte, com ciclos de vida muito longos. 

Actualmente, sua utilização é mais frequente em hortas domésticas externas, em laboratórios de pesquisa de nutrição de plantas, e como instalação para demonstração em escolas.