Estufa Hidroponica em Belém

O Sr. Fernando Henrique adquiriu recentemente um sistema NFT e nós fomos falar com ele para saber como estava a correr a experiência e falar um pouco de como é que foi a implementação do mesmo na sua pequena estufa localizada em Lisboa.

P: Pode-nos falar um pouco sobre a sua estufa e sobre o que o levou a esta aventura que é a agricultura urbana?

R: Sempre fui interessado pela agricultura, desenvolvendo agricultura clássica aos fins de semana, cuidando de uma pequena vinha a 150 km de Lisboa. Como os fins de semana não me preenchiam o meu gosto pela agricultura, procurei encontrar um meio de colmatar essa lacuna. Assim, como tenho disponível um pequeno espaço no quintal, decidi adquirir uma estufa de 2x3 metros. Aqui pôs-se a questão de como a aproveitar. Em França, há restaurantes que cultivam ervas aromáticas e outras, utilizados na confeção dos seus pratos. Em minha casa, porque não fazer o mesmo?...

P: Como é que teve conhecimento sobre os cultivos hidropónicos?

R: Fazendo uma busca pela internet, tomei conhecimento do sistema hidropónico e decidi aprofundar a questão. Cheguei à conclusão que o sistema NFT era o que mais se me adaptava e avancei com a aquisição. Em boa hora contactei a EcoCenter, que na pessoa do Senhor Paulo Pereira, me apoiou quer na arquitetura do sistema, quer no apoio na manutenção e desenvolvimento da cultura, o que tem sido de uma mais valia extraordinária.

P: O que é que o fez decidir ter um sistema NFT e não outro qualquer?

R: Dado a simplicidade do sistema, ausência de doenças vindas do chão, velocidade de crescimento das plantas e pouca manutenção, pareceu-me a indicada para o meu caso.

P: Quanto tempo por semana dedica á sua estufa?

R: No início dediquei mais tempo, já que tive de implementar o sistema e fornecê-lo de plantas. Presentemente gasto cerca de ½ hora antes do jantar, para colher as plantas, substituí-las e reabastecer o depósito de água e nutrientes.

P: Sente alguma diferença no sabor dos seus vegetais para os vegetais adquiridos no supermercado? Quais?

R: Como o nosso (da casa) abastecimento de vegetais e legumes é feito numa frutaria de confiança, não vejo grandes diferenças. Se a compra for feita nos supermercados, em certas situações há uma diferença abismal, quer no aspeto, sabor e essencialmente durabilidade dos vegetais.

P: Uma vez que já tem alguma experiência em cultivos em solo, sente diferenças em relação ao crescimento das plantas no seu sistema? Quais?

R: O sistema NFT é de uma grande simplicidade e quem já teve de mondar as ervas daninhas, dá o valor. Neste sistema as doenças são quase nulas. Quem sofre das costas dá valor à apanha dos vegetais de pé e não dobrado. São portanto, para mim, os três eixos principais do sistema.

P: Em relação a consumos energéticos, nota algum acréscimo relevante nas suas contas mensais?

R: O gasto que tenho é quase nulo, já que a bomba de água é de fraca potencia, não se notando do consumo elétrico. Quanto à água, utilizo a água da chuva (que por enquanto é grátis, até o governo se lembrar de a taxar…), que aproveito do telhado para um depósito (cerca de 300 litros), com um sistema de caleiras. Por enquanto tenho feito experiências para tirar o melhor rendimento, não tendo ainda chegado a uma conclusão definitiva dado o ainda pouco tempo da exploração.

Fernando Henrique

Muito obrigada ao senhor Fernando Henrique pela sua disponibilidade em dar-nos a conhecer o seu projecto.
Veja a evolução da estufa desde a sua instalação nas imagens seguintes:

Adicionar comentário
  • Nenhum comentário encontado