Substratos

Em Hidroponia o cultivo é feito sem solo. Ainda assim, as plantas precisam de algum tipo de suporte mecânico que as sustente dependendo do sistema. Utilizam-se então materiais inertes (meios de cultivo) que não interferem com a composição química da solução nutritiva.

Estes substratos podem ser origem natural ou mineral, devendo garantir um bom arejamento das raízes, permitir uma boa retenção de água e uma boa disponibilidade de nutrientes e ainda estar livre de agentes patogénicos. As várias alternativas de substrato podem ser misturadas em proporções diferentes de modo a garantir o ambiente desejado à cultura, por exemplo, se usar só fibra de coco provavelmente vai ter muita retenção de água no substrato, pouco arejamento e pode não ser compatível com os tempos de rega, então pode-se juntar em proporção igual ou menor argila ou perlite de modo a garantir uma drenagem e um arejamento mais adequados.

A utilização de substrato tem vantagens, principalmente em plantas de média/longa duração como os tomateiros, as beringelas, as cebolas ou as couves, pois oferece mais estabilidade às raízes da planta e ficando também mais protegidas do calor, de doenças e de possíveis falhas de sistema. Muitos deles podem ser reutilizados, conferindo mais sustentabilidade aos sistemas.

Existem centenas de diferentes meios de cultivo, qualquer coisa em que a planta consiga crescer pode ser considerado um. Até o ar pode ser um meio de cultivo adequado. Alguns substratos naturais comuns mais utilizados são as turfas, casca de pinheiro, serradura, fibra de coco, palha de arroz e outros cereais. Quanto aos minerais são a lã de rocha, a perlite, a vermiculite ou argila expandida. Segue a descrição de alguns dos mais utilizados. 

 

FIBRA DE COCO

 

   É feita do material que resta das cascas do coco e é 100% natural. É composta de milhões de micro-esponjas que absorvem e armazenam até oito vezes o seu peso em água. É normalmente colonizado com o fungo trichoderma, para protecção e estimulação das raízes. A sua capacidade de retenção de água Vs arejamento é muito boa, sendo muito difícil afogar as plantas. É ainda um substrato com uma alta troca de catiões podendo armazenar alguns nutrientes para quando a planta necessitar. É um material resistente, podendo durar até 3 vezes mais que a turfa. 

     Pode ser adquirido em vários formatos, sendo a mais comum pequenos tijolos compactados que expandem de 6 a 8 vezes em contacto com a água.

Vantagens: Boa capacidade de retenção de água e arejamento.
Desvantagens: nº de utilizações limitado. Baixa capacidade de drenagem. 

ARGILA EXPANDIDA (ou LECA)

   É feita a partir do super-aquecimento da argila, que provoca o inchaço dos grãos como pipoca, formando "bolinhas" até 2cm de diâmetro. Deve ser lavada antes de ser utilizada para retirar todo o pó vermelho que normalmente a acompanha. 

   Vantagens: relativamente leve mas com alguma capacidade de retenção, pode ser esterilizada e reutilizada. Não é compactável.
 Desvantagens: Pouca capacidade de retenção (comparativamente com o coco por exemplo). Adquirida através de extracção mineira.
 Dica: Pode ser colocada numa pequena camada no fundo dos vasos para uma melhor drenagem e para impedir o escape de substratos mais finos.

PERLITE

 

    É feito de uma fusão de rochas vulcânicas, superaquecida em grãos de vidro expandido. É um meio de cultura muito utilizado para aumentar a capacidade    de arejamento de outros substratos, sendo um material extremamente leve e poroso. A sua leveza também pode ser uma desvantagem em certos sistemas,    pois movimenta-se muito facilmente, podendo desaparecer ou causar algum tipo de entupimento. Não é utilizada sozinha mas sim misturada com fibra de coco ou vermiculite. 

 Vantagens: Muito leve, alta capacidade de arejamento.
 Desvantagens: Demasiado leve para certos sistemas. Adquirida através de extracção mineira.

LÃ DE ROCHA

   É um substrato inerte adequado tanto para sistemas abertos ou de recirculação. Lã de rocha é feito de rocha derretida, basalto ou "escória", que é convertido  em feixes de fibras de filamento único, e coladas em um meio com capilaridade, e fica protegido da degradação microbiológica mais comum. Apesar de ser muito  utilizado em hidroponia (principalmente em explorações comerciais), nós não recomendamos a sua utilização.

 Vantagens: Boa retenção de água e arejamento. Pode assumir várias formas e feitios, sendo um substrato consistente que não se espalha. 
Desvantagens: É poluente, pois não se degrada. O pó que resulta é considerado perigoso para a saúde, em particular para os pulmões. Limitações a nivel de influência no pH da solução.